Odontologia Estética
(não repare a qualidade das fotos, não sou bom em fotografia, mas estou melhorando)

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2009

Pequenos movimentos ortodônticos em odontologia cosmética

Caso onde, após ter sido realizado o clareamento e restauração dos dentes comprometidos esteticamente, decidi realizar pequenos movimentos ortodônticos para melhorar a resolução do caso. As primeiras imagens temos o caso em uma visão anterior e lateral, onde já ficava claro que a simples remoção da restauração escurecida, e a confecção de uma nova, não possibilitaria a conclusão do caso com a estética desejada por mim e pelo paciente, claro.





Resolvi realizar as restaurações mesmo assim para ter um parâmetro da estética conseguida, e, com a colocação de braquetes, em resina mesmo, que têm a desvantagem de pigmentar, e por isso são estéticos apenas por pouco tempo para um tratamento ortodôntico convencional, mas que são interessantes para esses casos rápidos.

Na imagem abaixo poderá ver os objetivos do tratamento. Passe o mouse sobre a imagem. Claro que para leigos será difícil a compreensão, mas numerei os dentes (numeração utilizada por nós, dentistas) para que mesmo os leigos, aqueles mais curiosos, claro, hehe, possam entender. Iniciei movimentando o dente 11, em direção à linha média, neste caso os dentes inferiores estão melhor posicionados, como indica a seta. Após isso ter sido conseguido, em 2 dias, restaurei temporariamente o dente 12, aumentando-o em direção ao espaço criado pelo movimento do dente 11.
Alterando um pouco o pequeno movimento iniciado, colei outro braquete no dente posterior ao dente 23, conjugando-o (amarrei-o) ao 23, e faço agora (paciente ainda em tratamento), a aproximação do 22 em direção ao 23. Para isso fiz um desgaste de parte distal (lado posterior) da restauração do 22 (na imagem em vermelho).



Resumindo os objetivos: com o pequenos movimentos ortodônticos, após aproveitar o diastema (espaço entre os dentes anteriores) para melhorar a linha média, procurarei diminuir a largura dos dentes mais anteriores e dar simetria entre eles. A melhor indicação para o caso seria, sem dúvida, realizar a ortodontia, mas o paciente optou por não realizá-la, mas o convenci a realizar esses pequenos movimentos. O caso ainda está em andamento, e colocarei as imagens aqui quando estiver concluído.

domingo, 22 de fevereiro de 2009

Odontologia cosmética

Paciente foi reabilitado esteticamente, com a realização de clareamento, desgastes de dentes inferiores para possibilitar a restauração dos dentes superiores com facetas em cerâmica e resina composta.




Veja a demonstração abaixo de como é feita uma faceta em cerâmica. É claro que o nível do desgaste é dependente também do grau de destruição e comprometimento da cor do dente que será restaurado esteticamente, embora a técnica preconizada é o desgaste mínimo, apenas no esmalte, a estrutura externa dos dentes. A faceta tem indicações precisas, e a realização em apenas um dos dentes pode ocasionar diferenças com o colateral, e por isso sua indicação pode requerer o desgaste também destes, o que pode ser uma contra-indicação à técnica. Mas veja como é feita, e os graus de desgaste.

domingo, 8 de fevereiro de 2009

Inlay em Cerâmica

Caso clínico onde uma restauração metálica é substituída por uma em cerâmica. Nestes casos é interessante recomendar ao seu protético para que na aplicação da cerâmica use um menor volume de "dentina", e mais "transparente", que "puxará" a cor do dente, deixando a restauração mais natural.
Passe o mouse sobre a imagem para aumentá-la.

segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

Plastia dental

Paciente com desequilíbrio oclusal, com desvio da linha média (dentes da frente deslocados para um dos lados), mas que não desejava realizar a ortodontia para as correções necessárias. O trauma do posicionamento incorreto do incisivo superior já causa, além das pequenas fraturas na incisal do dente, um escurecimento interno que é possível ser observado. Isso se deve provavelmente ao trauma persistente da má oclusão.

Foi planejado realizar o clareamento dos dentes e a plastia dental, com a realização de pequenos desgastes nos dentes superiores e inferiores para dar uma aparência mais estética. Em outros foi feita a reconstrução dos dentes com resina composta.

Esses pequenos desgastes, embora em um primeiro momento possam ser rejeitados pelos pacientes, não causa danos aos dentes, muitos já com pequenas fraturas em decorrência da oclusão incorreta e traumática (veja na primeira imagem como já há perda de estrutura dentária). Esses desgastes e preenchimentos dos dentes são feitos observando a função, além da estética, e permitindo uma melhor distribuição de forças durante a função mastigatória, o que acaba dando mais longevidade a todos os dentes.

Imagens antes e depois. Observe os dentes superiores e inferiores.


terça-feira, 16 de dezembro de 2008

sábado, 13 de dezembro de 2008

Recessão gengival tratada com restauração




Conforme vemos nas setas em vermelho (foto3), paciente com recessão gengival nos dentes pré-molares e com restaurações extremamente pigmentadas em dois dentes anteriores. As setas em azul mostram a coloração acinzentada que aparecem pela transparência do esmalte devido às restaurações de amálgama de prata realizadas na face oclusal, como visto na foto 4. As fotos 1 e 2 representam, sucessivamente, o caso antes e após o tratamento ser realizado.
Essa recessão gengival, com perda de estrutura das raízes dentárias (podemos ver concavidades já formadas na raiz, próximo à gengiva), são ocasionadas em grande parte pelo uso inadequado da escova dental, com força em demasia. Procuro sempre perguntar aos clientes que apresentam esse quadro se eles comumente sentem que machucaram a gengiva após escovarem os dentes. Muitos, em sua maioria, confirmam isso. Então, embora a necessidade da higiene dental seja inqüestionável, escovação deve ser feita com cuidado, com pouca pressão e com o uso de escovas com cerdas macias. Os movimentos horizontais para escovar ainda é a técnica mais indicada, embora muitos ainda pensem que pincelar a gengiva, com movimentos verticais, seja o melhor para os dentes. Não! Com pressão adequada e movimentos horizontais, "vibratórios" e não extensos.
Na imagem ao lado vemos indicado pela seta vermelha o grau da irritação pela escova, com a evidência de erosão por atrito (clique na imagem para ampliar e ver o detalhe). Neste caso vemos também, indicado pelas setas azuis, que este dente já apresenta recessão gengival e tem ainda uma brida que piora ainda mais o seu prognóstico.
Mas voltando ao primeiro caso, as "manchinhas" brancas na primeira das quatro fotos são resquícios do material utilizado para proteger o dente contra a sensibilidade durante a realização do clareamento dental. Foi removido antes da realização definitiva da restauração do dente.

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Casos Clínicos em Resina Composta

Restauração de Resina Composta antiga, já pigmentada, e necessitando ser substituída.

sábado, 29 de novembro de 2008

Casos Clínicos em Resina Composta

Casos clínicos com substituição de Restaurações de amálgama de prata por outras em Resina Composta. Observe que no primeiro caso abaixo a restaurações estéticas foram realizadas com uma pequena e discreta caracterização interna, mais escura, para dar mais naturalidade ao dente.





sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Odontologia Estética

A Odontologia estética pode ser realizada através de diversas condutas clínicas, com o clareamento de dentes naturais, com a correção do posicionamento dos dentes através do seu recontorno com pequenos desgastes (plastia dental), reconstruindo-os com resina composta em uma única seção, a confecção de coroas e próteses e o uso de implantes dentais.

Além da de ser eficaz para solucionar casos de comprometimento estético por cáries ou traumas circunstanciais, é também muito útil nos casos de problemas dentais adquiridos congenitamente, como na má formação dental, e pode ser uma solução definitiva para estes casos. Ela também substitui por próteses dentais os dentes não formados. Manchas na superfície dos dentes, de origem congênita ou não, podem ser removidas ou encobertas de forma imperceptível por diversos materiais e apresentam grande longevidade.

Veja alguns casos clínicos, que aqui serão postados aos poucos:


1)Correção de Diastema:




Paciente reclamava do espaço (diastema) entre os incisivos centrais superiores. Foi realizada a correção com resina composta, em uma técnica conservadora que não ocasiona qualquer desgaste nos dentes. Em virtude da dimensão reduzida dos incisivos laterais, foi tomado o cuidado em não aumentar demasiadamente os incisivos centrais para que não ocorresse uma discrepância muito grande entre incisivos centrais e laterais. Observe que mesmo o diastema não tendo sido completamente corrigido, a presença de saliva entre os dentes causou uma reflexão das superfícies proximais dos dentes, ocasionando uma ilusão que "fecha" o diastema.

2)Substituição de Restauração de Amálgama de Prata por Resina Composta




Paciente resolveu substituir as restaurações posteriores realizadas em amálgama, já razoavelmente oxidadas, por restaurações em resina composta. Observe que mesmo após a restauração ter sido substituída, a superfície dental remanescente ainda apresenta seqüelas na cor devido à penetração de óxidos metálicos, decorrentes dessa oxidação, no corpo da estrutura dentária. Em dentes posteriores a influência disso é irrelevante, mas nos pré-molares e primeiros molares superiores isso comprometerá a cor futura desses dentes.

3)Restauração em Resina Composta em dente posterior




Paciente com restauração de amálgama fraturada. Foi realizada a remoção, colocação de proteção indireta com cimento de ionômero de vidro e realização com resina composta. O caso demonstra os passos da realização da restauração com a escultura da anatomia dentaria realizada com brocas e finalizada com borracha abrasivas.

Clareamento Dental - Orientações

Manual para o clareamento doméstico, com orientações e protocolo de uso, para ler ou imprimir. Clique aqui.

É possível clarear os dentes de todas as pessoas? É possível clarear os meus dentes?
Não, não é possível clarear os dentes de todas as pessoas,e essa é uma avaliação que só o dentista pode fazer, e é indispensável o exame para um diagnóstico correto. Por exemplo, em alguns casos o clareamento será mais difícil quando os dentes têm uma cor acinzentada. O paciente poderá até realizar a tentativa de clareamento, e sempre ocorre uma melhora, mas ele deve ter ciência do porquê de não estar clareando ou da maior dificuldade que está tendo. Outro fator que deve ser levado em consideração são os dentes pré-molares (logo atrás dos caninos) que já foram tratados com restaurações (obturações) de prata, e mesmo os dentes anteriores com restaurações de resina composta (as branquinhas) ou que têm cáries. Esses dentes terão uma reação ao agente clareador diferente dos dentes ainda íntegros, e poderão ficar manchados ou, em comparação com os clareados, passar a ter uma aparência mais escurecida, quando na verdade ele apenas manteve a cor original da restauração que não clareia sob a ação do agente clareador. Coroas em porcelana também não clareiam (se você tem, tem certeza qual é?) e o paciente pode se equivocar e, na procura da melhor estética, acabará prejudicando-a ainda mais.

O que influencia na definição da cor dos meus dentes?
Alguns indivíduos nascem com dentes com a matiz mais amarelada, enquanto em outros os dentes se tornam mais amarelados com o tempo, principalmente naqueles contumazes usuários de alimentos altamente pigmentados como café, chá, ou vinho tinto, além dos fumantes obstinados.
Manchas na superfície e descoloração, congênita ou por cáries de superfície, também podem comprometer a cor natural dos dentes, e a higiene precária, que ocasiona o acúmulo de placa bacteriana e tártaro também são fatores que afetam a cor dos dentes.
O uso da tetraciclina (antibiótico) durante o período de formação dos dentes também comprometem a cor, e, ao erupcionar, podem tornar-se acinzentados. A ingestão de flúor em demasia durante esse período de formação dos dentes também dá ao dente uma aparência manchada.
O envelhecimento do indivíduo, ou o tempo de função mastigatória dos dentes também altera a cor devido à alterações internas que ocorrem fisiologicamente como mecanismo de defesa aos traumas e micro-traumas.
Cáries extensas e traumas podem resultar na morte do nervo do dente, conferindo-lhe uma cor marrom, cinza ou preta.

Tratamento:
A odontologia desenvolveu a técnica de alterar a cor do dente sem causar quaisquer danos às estruturas dentárias, internas e externas. O clareamento dos dentes é hoje uma necessidade para conquistar um padrão de beleza requerido pela sociedade ocidental. O que antes era pouco levado em consideração, hoje já é motivo de atenção de outros.

Como podemos clarear os dentes?

Antes de pensarmos em clarear os dentes temos que definir a causa da alteração da cor dos dentes, porque embora tenhamos diversos fatores que ocasionam isso, muitas vezes a coloração pode estar se dando apenas pelo acúmulo de tártaro, alimentos ou tabaco na superfície dos dentes, e estes ainda não tiveram tempo suficiente para também afetar a sua cor intrínseca. Para estes casos apenas a limpeza e polimento da superfície dos dentes já resolvem o problema.

Como funciona o clareamento dos dentes?

O clareamento pode ser feito tanto em um consultório dentário ou em casa. Em ambos os métodos são utilizados um gel branqueador que oxida a mancha. Durante esse processo de clareamento é comum os dentes se tornarem sensíveis, mas isso não significa de forma alguma qualquer dano às estruturas internas ou externas destes. É um efeito colateral passageiro e completamente reversível após dois ou três dias de cessação do uso da técnica.

Caso clínico de clareamento doméstico

Caso clínico antes e após clareamento, com a segunda imagem de quatro anos após o clareamento ter sido realizado.